Carlos Kristensen começou a se apaixonar pela gastronomia quando criança. Mas foi uma mudança de vida que transformou a paixão em profissão. Na década de 1990, o chef se mudou para a Austrália, onde desenvolveu suas habilidades na cozinha. Em seguida, mergulhou nos ingredientes desconhecidos e até então pouco explorados de países como Malásia, Índia, Nepal e Tailândia. Era o início da influência decisiva dos sabores orientais nas criações do chef gaúcho. No final do ano 2000, voltou ao Brasil e abriu seu primeiro restaurante, o japonês Hashi, em Santa Catarina. Em Porto Alegre, a história começou em 2005, com um Hashi já maduro: o cardápio asiático mesclou-se a técnicas e sabores franceses e brasileiros.

Conhecedor dos ingredientes, Kristensen mistura técnicas modernas e tradicionais, temperando a cozinha clássica com a sabedoria popular, salpicando alma sobre o conhecimento técnico.

O resultado, hoje, é a valorização do produtor local em consonância com os conhecimentos internacionais. O chef tem dedicado atenção especial à pesquisa e ao trabalho com pequenos produtores artesanais do Rio Grande do Sul, resgatando a importância histórica e valorizando as raizes culturais gastronômicas do povo gaúcho.

Kristensen foi considerado Chef Revelação (2008) e Chef do Ano (2009, 2010, 2011, 2013 e 2015) pela Veja Porto Alegre.

O Hashi é resultado de uma vida dedicada à busca do prazer, temperada pelo conhecimento, e Carlos Kristensen acumulou milhas de descobertas pelo mundo para transformar seu olhar e suas escolhas em uma culinária única, reconhecida e premiada.